Vídeo

Galeria

Produção Animal

Raças
Os bovinos criados na Companhia das Lezírias provêm de vacas das raças autóctones Mertolenga e Preta exploradas em linha pura, do seu cruzamento com reprodutores das raças Charolês e Limousine e de vacas cruzadas já resultantes destes cruzamentos.

Área Geográfica
A área geográfica de produção da Carne " COMPANHIA das LEZÍRIAS " é constituída pelos cerca de 18.000 hectares da Companhia das Lezírias, localizada nos concelhos de Benavente, Vila franca de Xira e Salvaterra de Magos.

Alimentação das vacadas
As vacadas são exploradas em regime extensivo e sob o Modo de Produção Biológico.
As pastagens e forragens têm una composição florística característica dos ecossistemas (Lezíria e Charneca) em que as vacadas pastoreiam ao longo de todo o ano.
As pastagens naturais e melhoradas, a bolota do montado, os restolhos das culturas cerealíferas, os pousios e os fenos produzidos na própria exploração, constituem a alimentação das vacadas da Companhia das Lezírias ao longo de todo o ano.
A área de forragens, pastagens e restolhos cerealíferos é de cerca de 9.000 hectares, repartidos por Lezíria, Charneca e Catapereiro.

Auto-aprovisionamento Forrageiro
Para a eventualidade de ocorrência de carência forrageira decorrente de condições climatéricas adversas e para garantir forragem da melhor qualidade aos animais em cria, recria e engorda, a Companhia das Lezírias produz, todos os anos, fenos (consociações de gramíneas + leguminosas).

Assim, além de pastagens para pastoreio, a Companhia das Lezírias produz cerca de 1800 ton/ano de fenos, para a alimentação na cria, recria e acabamento dos animais destinados à produção de carne.

Cria, Recria e Acabamento
Até ao desmame, as crias acompanham sempre as suas mães na pastagem.

Após o desmame, machos e fêmeas são separados e agrupados por grupos homogéneos, de forma a melhor potenciar as fases de recria e acabamento, consoante o objectivo a que se destina cada grupo (reposição do efectivo reprodutor ou produção de carne).

Os grupos de animais destinados à reposição do efectivo são mantidos em regime extensivo (pastagens e fenos produzidos na CL) e os destinados à produção de carne passam a um regime semi-intensivo - fenos produzidos na CL complementados com alimentos compostos.