Vídeo

Galeria

Apresentação

O início da actividade vitícola da Companhia das Lezírias remonta ao ano de 1881, ano em que se instalou a vinha na charneca de Catapereiro. Essa área foi crescendo até 1934, ano em que a vinha atingiu o seu máximo expoente - cerca de 400 ha. As castas dominantes na altura eram o Periquita (Castelão) e o Bastardo.
Com o passar dos anos, a vinha foi sendo reestruturada, tendo a Companhia das Lezírias actualmente cerca de 130 ha de vinha, dos quais 65% da área é composta por castas tintas e os restantes 35% por castas brancas.

Entre as castas tintas, a variedade Alicante-Bouschet é maioritária, seguida pelas castas Castelão, Trincadeira, Aragonez, Touriga-Nacional, Cabernet Sauvignon, Syrah, Merlot, Touriga-Franca, Tinta Barroca e Tinto Cão. As castas brancas instaladas são o Fernão Pires, Trincadeira das Pratas, Arinto, Roupeiro, Tália, Verdelho e Vital.
Na vinha, temos vindo a efectuar uma grande reestruturação, sem menosprezar as castas nacionais mas instalando também outras castas que tão bem se adaptam na nossa região vitícola.

Quanto aos vinhos, a nossa gama está organizada da seguinte forma: os vinhos com a denominação "Companhia das Lezírias" são englobados na Denominação Do Tejo e elaborados essencialmente a partir das castas Castelão, no caso do tinto, e Fernão Pires, no caso do vinho branco. Os vinhos tintos desta gama são estagiados em madeira nova de carvalho americano e francês, reunindo um conjunto único de tipicidade dentro da região Tejo em que se insere.

Os vinhos regionais possuem a designação "Catapereiro", sendo um lote das várias castas regionais instaladas na nossa vinha. No caso do regional tinto, e em anos em que tal se justifique, é seleccionado um pequeno lote de vinho que vai estagiar em pequenas barricas de carvalho francês, sendo depois engarrafado à parte, dando origem ao "Catapereiro Escolha". Estes vinhos são mais encorpados possuindo um potencial de guarda superior aos outros tintos produzidos na Companhia das Lezírias.

Os vinhos de mesa são vendidos sob a denominação "Senhora de Alcamé" sendo elaborados a partir de lotes de vinhos produzidos pela CL que não entram nas restantes marcas comerciais.
A Companhia das Lezírias, membro fundador da Rota da Vinha e do Vinho do Ribatejo, goza de uma localização excelente, que se repercute na qualidade dos nossos vinhos e que, aliás, tem sido bastante admirada quer pela crítica jornalistíca quer pelos consumidores que são, afinal, quem queremos servir.