Vizualize o site com o dispositivo na vertical.
Imagem de Fundo

Áreas de Atividade

Agricultura e Bovinicultura

manager.fields.left_image
manager.fields.right_image

Produção Agrícola

A Produção Agrícola – Milho e Forragens – são produzidos recorrendo a práticas ambientais – Proteção integrada (PI) e Modo de Produção Biológico (MPB).
A companhia das Lezírias cultiva, anualmente, no seu núcleo de produção de Catapereiro uma área de 336 ha de milho (sob pivô) em regime de Produção Integrada (PI) e cerca de 3 050 ha de prados permanentes biodiversos em regime de Modo de Produção Biológico (MPB) na Charneca.

Investigação e Desenvolvimento

A CL tem como grande objetivo a otimização do cultivo de milho, através adoção gradual da Agricultura de Precisão / Smart Farming, que tem como finalidade, a sustentabilidade agronómica, económica e ambiental da atividade.

Produção Animal

Área Geográfica

A área geográfica de produção da Carne " COMPANHIA das LEZÍRIAS " é constituída pelos cerca de 18.000 hectares da Companhia das Lezírias, localizada nos concelhos de Benavente, Vila franca de Xira e Salvaterra de Magos.
A área de pastoreio é de cerca de 9.000 hectares, repartidos por Lezíria, Charneca e Catapereiro.
Produção integralmente em área protegida: Reserva Natural do Estuário do Tejo (RNET) e a sua Zona de Proteção Especial (ZPE).

Bovinos de Carne

As condições específicas de produção contribuem para que os seus produtos (animais desmamados) sejam de alta qualidade.
A especificidade dos bovinos produzidos na Companhia das Lezírias resulta dos seguintes fatores:

  • Sistema extensivo
  • Produção sob o Modo Biológico
  • 2 Raças autóctones (Preta e Mertolenga) como base genética
  • Vacadas em pastoreio durante todo o ano (Lezíria e Charneca)
  • Pastagens com uma composição florística diversificada
  • Auto produção da totalidade dos produtos forrageiros utilizados

Raças

Os bovinos criados na Companhia das Lezírias, com um efetivo de cerca de 3000 cabeças de gado, provêm fundamentalmente de vacas das raças autóctones Mertolenga e Preta exploradas em linha pura:

  • Do seu cruzamento com reprodutores das raças exóticas – Charolês e Limousine – obtemos o chamado “Cruzamento Industrial”, ou seja, animais F1 (cruzamento duplo).
  • Do cruzamento duplo as mesmas raças exóticas, resulta na produção de animais F2 (cruzamento triplo), obtendo estes um maior vigor híbrido.

Autoaprovisionamento Forrageiro

Para além do pastoreio direto em ricas pastagens, para a eventualidade de ocorrência de carência forrageira decorrente de condições climatéricas adversas e para garantir forragem da melhor qualidade aos animais, a Companhia das Lezírias produz, todos os anos, cerca de 1 800 t de feno (consociações de gramíneas + leguminosas e vegetação espontânea).
Cria e Destino dos Produtos
Até ao desmame, as crias andam juntas com as mães na pastagem.
Após o desmame, machos e fêmeas são separados e agrupados por grupos homogéneos, consoante o objetivo a que se destina (reposição do efetivo reprodutor ou venda ao mercado).
Os grupos de animais destinados à reposição do efetivo são mantidos em regime extensivo (pastagens e fenos produzidos na CL).
Os restantes animais são comercializados pela Companhia das Lezírias em idade de desmame.

Investigação e Desenvolvimento

  • Participação no projeto de melhoramento genético e zootécnico em curso coordenado pela Associação de Criadores de Bovinos da Raça Preta Portuguesa, com vista ao melhoramento produtivo da raça.
  • Parceria com a “Best Farmer” – “Grupo Jerónimo Martins Agroalimentar” no “Projeto Angus” que consiste em obter um produto resultante do cruzamento de toiros da raça “Aberdeen Angus” com as nossas vacadas (autóctones ou cruzadas).